• A Gemalto agora faz parte do Grupo Thales, descubra mais aqui.

Cinco maneiras como a Internet das Coisas está ajudando o meio ambiente


​A conectividade, a tecnologia de sensor e a Internet das Coisas estão ajudando a criar um mundo mais ecológico

Internet das Coisas estão ajudando a criar um mundo mais ecológico  

Após um programa piloto bem sucedido  empreendido pela Gemalto, pela provedora líder em tecnologia de motor e telemática Ashwoods Lightfoot e pela prefeitura de Exeter​, a perspectiva da condução eficiente e mais ecológica para aqueles que usam diariamente as rodovias está se tornando uma realidade.

Mas não é apenas a tráfego que está sentindo os benefícios ambientais do amplo alcance da Internet das Coisas e o mundo da tecnologia está começando a ver os dispositivos da Internet das Coisas aumentar a eficiência energética nos lares e nas fazendas.

Aqui estão cinco maneiras como a Internet das Coisas está ajudando a reduzir as tensões sobre o meio ambiente...

1. Ecológico em qualquer lugar

Os carros inteligentes e autônomos podem inaugurar uma nova era de condução ecológica ao permitir que os carros nas ruas se comuniquem e processem o que os outros veículos estão prestes a fazer.  Isso permite que o tráfego se desloque a uma determinada velocidade com apenas alguns metros de distância entre veículos, reduzindo a ineficiência de combustível provocada pelas mudanças de marchas e velocidade dos veículos operados por seres humanos. APlataforma IoT Watson da IBM foi usada para criar um carro sem motorista chamado Olli. A plataforma Watson IoT analisa as enormes quantidades de dados provenientes dos sensores no veículo, permitindo-lhe acelerar, desacelerar e mudar de faixa sem a contribuição do motorista.

2. Fauna conectada

A Internet das Coisas foi usada para retirar as espécies da extinção, com enorme sucesso. O lince ibérico foi restabelecido na Espanha após o uso das tecnologias da Internet das Coisas para rastrear e monitorar os poucos linces selvagens remanescentes. Usando coleiras para o geomapeamento de sua localização e hábitos, junto com drones conectados, que foram muito menos invasivos ao rastrear os animais, os cientistas e especialistas em fauna puderam ajudar a restabelecer a vida das espécies.
 

3. Não ao desperdício, não à escassez

Deixar as luzes acesas, aquecer uma casa que está vazia ou aquecer a água que ninguém vai usar representam grandes desperdícios de energia. Mas as casas inteligentes e conectadas podem impedir o uso desnecessário de energia. Existem programas já disponíveis, como o  Loxone Smart Home​​, que permite aos usuários acender ou apagar as luzes e controlar a temperatura e funcionamento do boiler quando estiverem fora de casa. E não é só isso.Os carros também podem se conectar às casas​, criando uma variedade ainda maior de opções de economia e eficiência.​​

​4. Detectando mudanças​

​Os sensores estão mais sofisticados do que nunca e agora podem ser transportados pelas pessoas com facilidade. Há uma variedade de sensores que medem a qualidade do ar e advertem os usuários por meio de aplicativos em seus smartphones quando o ar apresenta níveis perigosos ou pode provocar asma. Isto não apenas é útil para o usuário, mas também pode aumentar a consciência sobre a poluição e emissões elevadas nas áreas povoadas. Dispositivos semelhantes são usados ​​para o trabalho com radiação e mineiros. É uma boa maneira de orientar as comunidades e governos a combater o aumento dos níveis de poluição​.

5. Agricultura mais inteligente​

Usando sensores inteligentes, os agricultores podem reduzir a quantidade de resíduos produzidos, bem como monitorar seus processos agrícolas que dependem do clima, umidade, luz solar e outros fatores externos. Também é possível reduzir a quantidade de água usada para hidratar as plantações quando o sensor descobre que os níveis de umidade no solo estão adequados.Uma abordagem da Internet das Coisas pode ajudar a reduzir o desperdício e aumentar a eficiência energética no mundo agrícola.​

Fuente: /review 

​​