• A Gemalto agora faz parte do Grupo Thales, descubra mais aqui.

Drones e a Internet dos céus


À medida que o uso de drones no setor comercial se expande rapidamente, analisamos se as medidas de segurança estão acompanhando o ritmo de tal expansão.

Drones e a Internet dos céus

Os avanços no setor de drones comerciais estão acontecendo a uma velocidade tal que estamos prestes a testemunhar o que Graham Trickey, Diretor de IoT da GSMA, chama de "a Internet dos Céus". 

A aplicação dos drones comerciais já pode ser encontrada em cinco importantes setores: 

Mas como garantir o mesmo nível de cibersegurança que encontramos em terra no espaço aéreo? 

O risco físico

Com a segurança e defesa sendo as áreas de concentração da Thales, uma proposta de valor bem-sucedida para drones exige o que Trickey chama de "capacidade de gerenciar volumes de drones no mercado".

Em abril de 2019, três voos que aterrissariam em Gatwick, no Reino Unido, foram desviados após a observação de drone no espaço aéreo. Em junho de 2019, a observação de drones não autorizados interrompeu as decolagens do Aeroporto Changi de Singapura: uma pista foi fechada e dezenas de voos atrasaram.

Essa é uma manchete que pode se tornar bastante comum, pois a Administração Federal de Aviação dos EUA (FAA) prevê que, até 2020, haverá sete milhões de drones no ar. (Colocando isso em uma perspectiva, haverá dez vezes mais drones comerciais do que aeronaves tripuladas até 2020.)

A segurança dos céus cibernéticos

Embora os números físicos representem um desafio, o maior risco de segurança para os drones está no mundo digital. "Este mundo novo e conectado está trazendo muitas vantagens para a vida cotidiana, mas também está trazendo desafios em termos de privacidade de dados e segurança cibernética", explica Florent Abat, Diretor de Marketing para IoT de Eletrônicos de Consumo e Drones Comerciais na Gemalto, uma empresa do grupo Thales. 

O Drone Connect é um novo sistema remoto de rastreamento de identificação que usa a mesma tecnologia que a indústria de telefonia móvel global. Todos os drones no céu serão autorizados, rastreados e monitorados com segurança, permanecendo continuamente protegidos contra hackers pela solução ECOsystem UTM da Thales, que fará, ainda, um registro completo de todas as suas ações.

A placa digital oferecida aos drones através da solução Drone Connect melhorará a segurança dos céus. A solução já foi testada com sucesso em Nova York e, nos próximos meses, será testada no resto do mundo.

"Com todos os produtos que fornecemos em torno da autenticação, conectividade e cibersegurança, podemos criar um ambiente seguro para os drones que atenderão às necessidades de todos os governos", diz Abat.

"Os governos precisarão desempenhar seu papel e criar a regulamentação e padronização que permitirão aos drones operar com segurança", acrescenta ele. Isso inclui autenticação e rastreabilidade de drones e quaisquer processos de dados. 

"Precisamos ter a certeza de que os dados são coletados de forma perfeita. Também é importante entender o que será feito com os dados posteriormente. Isso permitirá um 'controle aéreo adequado' para nossos céus", diz Abat. 

Na opinião de Abat, enquanto continuarmos focados na segurança dos seres humanos durante a evolução da tecnologia de drones e suas aplicações, poderemos realmente aguardar ansiosos pela Internet dos céus, em vez de temê-la. "Para superar esses desafios, é importante colocar o usuário final no centro dessa reflexão e levar a confiança digital para esse novo mundo conectado".