• A Gemalto agora faz parte do Grupo Thales, descubra mais aqui.

Chilecon Valley: A capital latino-americana da tecnologia inovadora


​​​​Há um novo centro de tecnologia no horizonte: o Chile é a capital latino-americana da tecnologia inovadora. 

Como isso aconteceu? O que outros países poderiam fazer para acompanhar o seu sucesso?

Autora: Sirena Bergman​

ChileconValley.png  

Para aqueles que procuram iniciar um negócio de tecnologia, o Chile poderia não ser o local mais óbvio. Enquanto empresários podem ser atraídos para São Francisco, Londres ou Berlim, a América Latina tradicionalmente não está no topo da lista. No entanto, a tendência está mudando à medida que mais e mais inovadoras start-ups da área de tecnologia estão se lançando no país, especialmente na capital Santiago.

Enquanto muitas cidades com cenas tecnológicas notáveis podem creditar o seu sucesso às circunstâncias sociais orgânicas, o governo do Chile pode agradecer a si mesmo. O programa Start-Up Chile lançado em 2010 como um acelerador de Start-Ups ofereceu aos aspirantes a empresários um investimento sem participação no capital de até US$ 40.000. Talvez ainda mais valioso, o esquema levou em conta as rígidas leis de imigração dos EUA e ofereceu um visto de um ano que permitiu a pessoas do mundo iniciar um negócio no Chile, um país com uma costa e clima invejáveis.

Em 2015, o programa Start-Up Chile recebeu 1.600 inscrições, das quais foram selecionadas 90 empresas de 25 países diferentes. O processo de seleção foi difícil e os empresários selecionados tinham que demonstrar habilidade, inovação, potencial e dedicação ao negócio, o que os tornaria habitantes perfeitos para o que é agora conhecido como "Chilecon Valley".

Leia o artigo completo que foi publicado na 1a edição de 2016 de nossa premiada revista The Review:


 Leia o artigo completo

  • Chilecon Valley

    Chilecon Valley

    (Artigo da The Review, 1ª Edição 2016) Há um novo centro tecnológico no horizonte: Chile é a capital latino-americana da tecnologia inovadora. Como surgiu esta mudança? O que outros países poderiam fazer para imitar o seu sucesso?

    Leia o artigo completo